Dicas caseiras para os primeiros anos de vida

Por Karla Hannig

Principalmente nos dois primeiros anos de vida, é muito comum que as crianças passem por diversas fases de desconforto ou mesmo sejam alvos de doenças, já que o corpo ainda está trabalhando pra montar um sistema imunológico efetivo.

Ver nossos filhos sentindo dor, agoniados e sem muita energia nos deixa aquela sensação de impotência, sem saber que providências tomar. A regra que mais temos que repetir no “Mães Brasilieras na Alemanha” é a de não citar nomes de medicamentos. A razão dessa proibição é o simples fato de que todo e qualquer medicamento deve ser apenas utilizado após indicação médica. Drogas contém também efeitos colaterais e contra-indicações e não nos responsabilizamos pelo mal uso dos mesmos.  Portanto, se o seu filho está doente, procure um pediatra.

Entretanto existem também situações em que pequenas ajudas caseiras podem ajudar a aliviar determinados sintomas e algumas delas vamos revelar aqui.

Dentição

  • Massagens na gengiva: com as mãos bem limpas, faça pequenos movimentos na gengiva do bebê. A pressão ajuda a aliviar a dor.
  • Fralda molhada: dobre uma fralda de pano, formando uma “ponta” em uma das extremidades, molhe com água gelada e dê ao bebê. Morder a fralda geladinha alivia a dor.
  • Raíz de Íris (Veilchenwurzel): comprada em drogarias, esta raíz quando mordida fica macia, amortecendo a gengiva, além de liberar substâncias anti-inflamatórias e analgésicas ao entrar em contato com a saliva.

Cólica

Para realizer massagens contra cólica é aconselhável usar um óleo não refinado como o óleo de amêndoas (Mandelöl), a Weleda também tem um bom óleo para este fim (Bäuchleinöl), existe também o creme Windsalbe que contém cominho na composição.

  • Massagem em sentido horário na barriga: imagine um relógio ao redor do umbigo do seu bebê. Comece a massagem às 9h, descendo em sentido horário e termine o movimento às 6h. Esse movimento circular não completo transporta os gases para fora do intestino, já que sua saída está localizada entre as perninhas.

intestinobebe

http://www.babytipps24.de/wp-content/images/Baby-Darm-300×168.jpg

  • Carregar o bebê em posição de aviãozinho: essa posição gera alívio no bebê, já que com a gravidade é feita uma certa pressão na barriga através do próprio peso do bebê contra a mão de quem o está carregando. Uma posição excelente pra colocar uma música relaxante no ambiente e tentar acalmar o bebê.

bebeaviaozinho

http://www.mamiweb.de/nfs/premiummagazin/container/001/1772/blaehungen-und-bauchschmerzen-beim-baby-l.jpg?t=1456789004

  • Pedalar com as perninhas: segure com cada mão um tornozelo do bebê e em movimentos alternados levante a perninha até que a coxa faça pressão sobre a barriga. Pode também alternar esse movimento levando as duas perninhas de uma só vez até a barriga. Geralmente os bebês começam a liberar os gases.

bebebicicleta

http://ami.nmimg.org/content/uploads/sites/30/2016/01/iStock_000069145621_300px.jpg

  • Colocar pra arrotar: existem muitos pediatras que afirmam que os gases que causam o arroto, não são os mesmos que causam os gases intestinais. Pelo sim ou pelo não, colocar pra arrotar alivia o desconforto do bebê e pode talvez evitar que esses gases permaneçam no sistema digestivo.
  • Compressa morna, lã ou saquinho de lã (Muckelkissen): o calor alivia desconfortos e muitos bebês ficam mais calmos com o uso dele em contato com a pele. Em drogarias se encontra o saquinho de semente de uva que pode ser esquentado para fazer compresas mornas. Por favor se certifique que não esteja muito quente para não queimar a pele do bebê. Outra opção é o Muckelkissen, um travesseirinho recheado com la, que aquece naturalmente. Na Alemanha costumam deixar esse travesseirinho dentro do body do bebê pro alívio contínuo. Esse travesseirinho pode ser substituido pela lã normal (Heilwolle), colocada entre a barriga e o body.
  • Carregar no wrap/sling/canguru: a posição em que o bebê fica dentro do canguru com as perninhas em M contribui pra liberação dos gases, além do contato pele a pele acalmar o bebê.
  • Chá de erva-doce, cominho e anis para a mãe que amamenta: para as mãe s que amamentam, é recomendado tomar em media 3 xícaras deste chá, que não só contribui na produção do leite, como ajuda na liberação dos gases do bebê.

Resfriado e tosse

  • Cebola: durante a noite, pique uma cebola, coloque em um pratinho e deixe este ao lado da cabeceira da cama/berco. A cebola não só libera propriedades expectorantes no ar, como purifica o ambiente e ajuda na descongestão nasal.
  • Massagem: em caso de secreção, deite o bebê de bruços e pressione levemente com a palma das mãos fazendo movimentos vibratórios na região dos pulmões com a mão em formato de conchinha para soltar a secreção.
  • Vapor: na hora do seu banho, leve seu bebê para o banheiro e deixe a água ficar bem quente, o vapor ajuda a descongestionar o nariz e a dissolver a secreção.
  • Levantar o colchão: bebês não sabem respirar pela boca e ficam bastante agoniados com o nariz entupido, o que piora quando deitados. Para aliviar a congestão nasal na hora do sono, incline o colchão na região da cabeça. Uma boa opção é colocar uns fichários ou livros por baixo do colchão.
  • Xarope caseiro: pique uma cebola, coloque em um vidro escaldado com tampa e cubra com acuçar. Leve à geladeira. Depois de umas 6 horas descansando, coe as cebolas e você ficará apenas com um excelente xarope natural. De 1 colher de chá 3x por dia. Acúçar deve ser considerado tabu para bebês, mas para fins terapeuticos, pode ser liberado como exceção. Para crianças mais velhas de 1,5 anos, substitua o acúçar por mel. Atenção! Não dê mel antes desta idade, por risco de botulismo.

Atenção: o uso de óleos essenciais como eucalipto e menta são tóxicos para crianças antes dos 6 anos, podem causar uma série de problemas respiratórios e falta de ar. Fuja dos preparados que contenham um dos dois, mesmo que sejam vendidos em farmácia.

Picada de mosquito

  • Pomada de calêndula: a pomada de calêndula da Weleda auxilia a cicatrizar a região das picadas.
  • Aloe-Vera / Babosa: corte uma folha da babosa e passe o gel encontrado dentro da folha nas picadas.

 

Febre

Febres causam sempre preocupação nos pais. Mas é muito importante encarar a febre não como uma doença em si e sim como uma forma do próprio corpo a lutar contra uma possível infeccção. A febre é portanto um mecanismo do corpo saudável de combater um vírus ou bactéria, já que ao elevar a temperatura muitos desses “inimigos” morrem. Se você baixar a febre sem necessidade, você estará impossibilitando o corpo de cumprir sua função.

Febre deve ser monitorada. Muito mais importante que a própria temperatura é verificar se seu filho está apático ou ativo. Uma criança febril, porém ativa é um bom sinal. Abaixo pode-se ter uma idéia de quando trata-se realmente de febre:

  • 36,5 a 37,5° Celsius: temperatura normal de uma criança saudável
  • 37,6 a 38,5° Celsius: temperatura elevada
  • A partir de 38,5° Celsius: febre
  • A partir de 39° Celsius: febre alta

Vá direto ao pediatra principalmente quando:

  • Bebês até 3 meses passam dos 38°
  • Bebês entre 3 e 5 meses passam dos 38,5°
  • Bebês ou crianças acima dos 6 meses passam dos 39°

Algumas dicas:

  • Hidratação: bebês e crianças com febre perdem muito líquido. Reponha esse líquido oferencendo líquidos que seu filho toma regularmente e já está acostumado como: leite materno, fórmula ou água.
  • Compressa fria: molhe toalhas com água fria (água normal da pia, não gelada) e coloque sobre as pernas, em casos de febre alta. Troque constantemente as compressas.

Assaduras

  • Amido de milho (Maisstärke): em um copinho coloque uma colher de sopa de amido de milho, acrescente aos pouquinhos água até virar uma pasta. Passe esta pasta como se fosse um creme contra assaduras.
  • Pomada de calendula: a pomada da Weleda ajuda muito em casos de assaduras.
  • Ar livre: deixar o bebê um tempo sem fralda acelera o processo de cicatrização, fazendo com que as assaduras desapareçam mais rápido.
  • Evite o uso de lencos umedecidos: estes são cheios de química e conservantes, causando assaduras em muitos bebês. Prefira o uso de água e toalhinhas ou algodão.
  • Chá preto: o chá preto tem propriedadees antiinflamatórias e antifúngicas. Faça um chá bem forte, deixe esfriar. Mergulhe um disco de algodão nele e coloque no local da assadura até a próxima troca de fralda. Repita o processo.
  • Lã (Heilwolle): a lã é rica em lanolina, que ajuda na cicatrização. Pegue um pedacinho da Heilwolle, coloque na região afetada e feche a fralda normalmente.

Atenção: caso desconfie de assadura causadas por fungos, procure um pediatra.